Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Santa Rosa -> Neuquén - Travessia do Deserto

O dia iniciou cedo pois às 07:30 hs. estávamos de pé e não muito depois, prontos para o café da manhã que naquele hotel de beira de estrada se resumiu a um café com leite e uma media luna salada e outra dulce para cada um. Traduzindo, fora o café com leite, media luna é um croiassant tradicional aqui no país feitos em forma de meia-lua e que podem ser salada ( salgada ) ou dulce ( doce ).
Deserto a mais de 40 Graus.
Café da manhã tomado, moto equipada, saímos para uma volta na cidade de Santa Rosa. Nos demos conta que ficamos hospedados bem no início da cidade pois o centro estava distante. Fomos em busca de um local para sacarmos pesos Argentinos para continuar a viagem. Feito isso, seguimos em direção a Neuquén. No início, até a pequena cidade de General Acha, tudo estava muito agradável. Paisagens incríveis, alguns animais e passáros e a temperatura muito agradável. Mas tudo isso iria mudar quando começamos a cruzar um deserto que existe no caminho. A tamperatura subiu muito durante o dia e foi um grande problema estarmos vestidos com as pesadas jaquetas e calças de motociclistas. Ao todo, foram mais de 300 Kms. de paisagem desértica onde nada se via senão uma vegetação semi-seca num solo arenoso. A temperatura, seguramente, superou os 40 graus. No último trecho já estávamos passando mal e suando muito quando finalmente conseguimos um posto para parar. Tomamos numa só golada uma garrafa de 500 ml de água cada um, tamanho era o desespero com a desidratração. Tínhamos no baú da moto uma garrafa de reserva mas a água estava muito quente, impossível de beber. Seguimos para o último trecho até Neuquén sempre com muito calor e no transito urbano da cidade, até a chegada ao hotel, estávamos novamente desesperados com o calor. Mas ao final tudo acabou bem e uma vez re-hidratados e no hotel, surpreendentemente bom ( mas não luxuoso ), estamos prontos para o dia seguinte, que será curto pois até Bariloche serão pouco mais de 400 Kms - pouco se considerados os dias anteriores.

3 comentários:

  1. Olá Marinho e Wal,estou gostando de acompanhar a aventura de vcs,a leitura esta perfeita.
    Mando abraços do Marcio para vcs ,se cuidem e até a proxima leitura.
    Gde abraço a vcs,boa viagem sempre !
    Les

    ResponderExcluir
  2. O que é incrível nesta região, se bem me lembro quando a percorri de carro, são as retas que parecem se perder de vista, algumas de 40 a 50 km; as estradas parecem que foram planejadas com uma régua. Ainda tem muito deserto saindo de Neuquen para Bariloche mas depois a paisagem "esverdeia" de novo. Vejam se conseguem dar um pulo em Villa la Angostura, creio que uns 80 a 100 km de Bariloche, mas vale a pena. Grande abraço aos dois.

    ResponderExcluir
  3. Carlos e o melhor de tudo é que nessas retas ainda não tem radar. Passamos por Vila Angostura - muito bonita. Eu diria até que é mais bonita que a própria Bariloche.

    ResponderExcluir