Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Montevidéu -> Colonia -> Buenos Aires

Havíamos combinado de nos encontrar na recepção do hotel entre 6:15 - 6:30 da manhã para partirmos em direção à Colonia del Sacramento e no horário, lá estávamos reunidos. Fechamos as contas, equipamos as motos e partimos.
Colonia Del Sacramento - mais uma bela surpresa Uruguaia
Como eu estava um pouco traumatizado em se perder em Montevidéu, estudei o mapa na noite anterior para saber como sair do centro e pegar a ¨Ruta 1¨ que nos levaria até Colonia, 180 Kms. dali. Fazendo isso me dei conta de que era extremamente simples - bastava ir por onde o taxi nos havía levado ao Mercado do Porto na noite anterior. Assim rapidamente conseguimos pegar a Ruta 1 aproveitando para abastecer as motos antes de sair da cidade. A viagem até Colonia foi muito tranquila por uma estrada duplicada e muito bem pavimentada. Único senão é o quase inexistente pontos de parada para um café da manhã pois ao sairmos tão cedo havíamos perdido àquele ¨imperdivel¨ do hotel - estávamos todos muito tristes por isto...rsrsrs. No caminho paramos para um descanso próximo à uma chácara na beira da estrada e um grande labrador veio ao nosso encontro. O cão muito simpático e brincalhão logo fez amizade com a Walquíria deixando-a toda marcada de patas e baba. Continuando pela estrada, duas horas depois de havermos saído de Montevidéu,  chegamos a Colonia del Sacramento. Nova supresa Uruguaia.
Buque-Bus
A cidade, histórica, é muito bonita. Aproveitamos o tempo disponível para explorar o centro velho e tirarmos fotos. Quando a fome bateu, buscamos um lugar para tomar café e após uma rápida procura, achamos o Blanco e Negro. O dono, muito gente boa, disse que estava fechado ( de fato ainda era cedo e a cidade toda estava fechada ) mas como éramos motociclistas ele abriria para nós. Conversando com ele e com amigos dele que lá estavam decobrimos que eles também são motociclistas e inclusive estavam se preparando porque iriam largar no Rali-Dakar no dia seguinte em Mar Del Plata. Pedi informações e nos deram muitas dicas a respeito da nossa rota até o Chile. A comida e o café servidos estavam muito bons. Vizinho ao café, tinha uma loja; Walquíria e  Priscila aproveitaram para comprar camisetas e outros ¨badulaques¨. O Eduardo comprou para ele e me deu outra de presente, uma bandeira do Uruguai para ser colada em algum lugar da moto. Feito isso, fomos ao embarcadouro do buque-bus para fazermos o processo de embarque das motos e o check-in para a travessia em direção a B. Aires. O
Buenos Aires em frente à Casa Rosada
 processo é relativamente simples mas para eu e a Walquíria complicou um pouco: Na entrada do Uruguai, em Chuí, não carimbaram o nosso passaporte e portanto não poderiam liberar a nossa saída do país sem a entrada. Explicamos que insistimos na fronteira para que o fizessem mas nos disseram que não era necessário. A sra. que nos atendia na imigração disse que talvez tivéssemos que pagar a taxa de liberação, por volta de R$ 75,00.  Um pouco de espera, sempre sendo muito cortezes, voltaram e nos comunicaram que como não havía sido nossa culpa estávamos liberados para seguir adiante sem custo algum. Agradecemos e lá mesmo fizemos o processo de entrada na Argentia tendo dessa vez, nosso passaporte carimbado. As ¨meninas¨ embarcaram no buque pela entrada de passageiros e nós fomos levar as motos para dentro do barco. Quando entramos no buque, nova surpresa: o barco é bastante confortável tendo inclusive free-shop. Lá eu e o Eduardo engatamos um longo papo com um grupo de motociclistas que estavam indo para a largada do Rali Dakar. Já eram bastante experientes tendo feito essa nossa viagem antes.
Walquíria fazendo amizades com simpáticos Uruguaios
 A Walquíria e a Priscila desceram para o free-shop e quase ao final da rápida viagem da travessia, feita pelo barco em grande velocidade, chegaram bravas porque na loja perderam um longo tempo na fila para pagamento pois não havia troco em dólares. Chegamos em Buenos Aires e a saída é praticamente no centro da cidade, em Puerto Madero. Alí em já me sentia em casa e já sabia  me localizar. Primeira coisa foi passar em frente à Casa Rosada e pousar para uma foto com as motos. Feito isso, nos dirigimos para o hotel. Aqui eu também sabia que não haveria surpresas pois conhecia muito bem o Hotel GranBoulevard e sabia que iria me redimir do Austral, de Montevidéu. Nos hospedamos e combinamos de nos comunicar mais tarde. Por volta das 18:00 nos falamos e combinamos de às 20:00 sairmos para tentar jantar em Puerto Madero e assim fizemos. O problema é que, preparando-se para o reveilon, os restaurantes estavam todos fechados e ficamos sem o jantar. Procuramos alguns deles para saber se haviam sido todos reservados e para alguns havia sim vagas para aquela noite porém ao custo aproximado de R$ 240,00 por pessoa. Votação no grupo e por unanimidade resolvemos não pagar a quantia e seguirmos tentando encontrar algum lugar onde comer. Fomos então caminhando por Porto Madero, depois Casa Rosada, Avenida de Mayo e logo estávamos de volta ao hotel sem havermos encontrado comida. O frigo-bar do hotel era a solução. Combinamos de sair novamente para ver os fogos em Porto Madero às 22:30 e assim o fizemos. Nesse ponto, como era muito reduzido o números de taxis na cidade, os que haviam estavam cobrando o dobro do que seria o normal pela corrida - lei da oferta e procura. Aceitamos sem problemas. Em Porto Madero esperamos até 0:00 hs para a queima de fogos que sempre é muito bonito mas aqui nada de extra-ordinário. Levamos champgne do frigobar e comemoramos a entrada de 2012 em plena B. Aires mais precisamente em Porto Madero.  Feliz 2012 a todos!

2 comentários:

  1. Marinho e Wal,seguirei vcs na aventura a partir de hj,pelo que li até aqui é aventura total e isso é muito legal.Aproveito para desejar a vcs muita aventura e um ótimo e feliz Ano de 2012,com muita saúde e sucesso.Abraços a vcs e até breve.
    Lesley

    ResponderExcluir