Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

domingo, 1 de janeiro de 2012

30 Dezembro - Montevidéu


Avenida beira-mar em Montevidéu
Após o choque com o Hotel, resolvemos relaxar e aproveitar pois não tinha remédio. A sexta-feira 30 de Dezembro estava reservada para uma olhada por Montevidéu. Eu e a Walquíria levantamos por volta das 09:00 e fomos tomar café da manhã com a esperança de que acontecesse o mesmo que em Pelotas ou seja, o café no hotel superasse as expectativas. Nada disso - o café foi igualmente decepcionante. Sem frutas, umas ¨medias-lunas¨ um pouco passadas, café e leite, cereais também não muito atraentes foram a nossa refeição matinal. Combinamos com o Eduardo e a Priscila uma volta a pé ( abri uma concessão à todos porque não gosto de caminhar ) pela região do hotel, que fica no centro velho da cidade. Caminhamos um pouco, ¨cambiamos¨ alguns dólares por moeda local e tiramos algumas fotos. Logo nos deu vontade ( a mim mais que todos ) de pegar as motos e dar um giro pela avenida Jambra que margeia o mar e pela qual havíamos entrado na cidade na noite anterior. E assim fomos. Nos perdemos um pouco para achar a tal avenida mas pelo cheiro ( brisa ) achamos ela sem muita dificuldade. Aquela parte da cidade é muito bonita e Montevidéu, que eu ainda não conhecia, se revelou bastante bonita e supreendente. Mas o que mais impressionou à todos é a cordialidade dos Uruguaios em todas as partes - e é algo que podemos identificar sendo como uma característica deles e não algo direcionado a agradar turistas incautos. Depois de procurar um lugar para almoçarmos, já por volta das 14:30, com muita criatividade, fomos a um McDonnald´s.  Os comentários da mesa foram: A coca-cola é diferente, parece melhor. O alface é mais durinho, é melhor. A carne também tem um sabor diferente - é melhor...deduzi então que ao final não estávamos num McDonnald´s... Mas isso já era um indicativo que todos estavam se apaixonando pelo país.
Um dos vários e bem conservados edifícios antigos de Montevidéu.
Voltamos ao hotel por volta das 15:30 e combinamos de procurar uma ¨parrilha¨ para o jantar com direito a vinho e tudo. Dencansamos um tempo e por volta das 20:00 nos encontramos na recepção do hotel ( que naquela altura já tinha virado piada e todos já estavam conformados, inclusive com os elevadores daqueles bem antigos em que temos de fechar a porta de ferro antes de o mesmo partir ). Posso dizer até que se a Walquíria e a Priscila ficassem mais uns dois dias lá iriam até começar a gostar do hotel...rsrsrs Bem, pedi indicação de uma muito boa ¨parrilla¨ para a recepcionista e ela a princípio me indicou uma próxima ao hotel e que aos clientes do mesmo eles davam como cortesia uma taça de vinho da casa. Agradeci cordialmente já suspeitando da indicação dizendo que preferiria uma em outra região da cidade. Então ela nos indicou o Mercado do Porto. Havíamos combinado de sair de taxi àquela noite porque queríamos tomar vinho. O taxi então nos deixou naquela localidade que me pareceu serem ruas de comercio variado com várias lojas de artesanato e outras ¨cositas¨ para turistas. Mas ( ainda bem ) estavam todas fechadas. Porém os restaurantes não. Andamos um pouco e como ainda não havia muita gente, resolvemos entrar naquele que estava mais cheio acreditando que seria o melhor. E deu certo. O San Pelegrino por seu pessoal nos atendeu muito bem e a comida estava excelente. Valeu a pena. Saímos de lá bem tarde, por volta da 0:00 hs depois de somente uma garrafa de vinho - talvez essa tenha sido o único ponto negativo daquela noite - apenas uma garrafa de vinho. O dia seguinte começaria bem cedo para uma viagem até Colonia del Sacramento onde pegaríamos o ¨buque-bus¨ que transportaria nós e as motos até Buenos Aires.

Nenhum comentário:

Postar um comentário