Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Santiago Dia II - Um pouco de trabalho e muita diversão

Walquiria embarcada para São Paulo e portanto eu livre e solto em Santiago, decidi, como planejado, ir ao escritório da empresa para colocar alguns assuntos em dia - sou comportado e no primeiro momento solteiro em 15 dias vou trabalhar. Por volta das 10:00 hs saí do hotel com a moto em direção à "oficina" da cia. quando logo próximo ao hotel recebi sinal de uma policial para parar. Estava observado o GPS e não havia me dado conta de que estava numa pista exclusiva para táxis e ônibus. A oficial que me parou, muito bonita aliás, a princípio não havia reparado que eu estava num veículo estrangeiro. Somente quando foi observar a placa é que se deu conta. Me pediu os documentos da moto e minha habilitação. Quando os pegou e viu que era tudo "de fora" disse que precisaria consultar seu superior pois não estava segura de que os documentos apresentados me habilitariam a conduzir no Chile. Enquanto eu aguardava, sua colega muito curiosa me perguntava há quanto tempo eu estava viajando, qual era o destino, se estava só, quando eu havia partido do Brasil enfim várias perguntas. Em princípio pensei que estava me interrogando para confirmar alguma informação ou perceber se eu caía em alguma contradição. Mas depois cheguei a conclusão que era pura curiosidade - mas não queria ser muito amigavel para não perder a autoridade. Uns 5 minutos depois chegou a colega com os documentos em mãos me dizendo que estava tudo ok e que havia me parado apenas para fiscalização de rotina. Isso me tranquilizou porque eu pensei que ia levar multa por estar na faixa errada. Apenas anotaram meus dados num formulário de controle, me perguntaram se a categoria da minha habilitação me permitia conduzir motos no que eu confirmei dizendo inclusive que o sistema no Brasil era o mesmo usado no Chile. Me desejaram boa sorte e boa viagem e me liberaram sem problemas. Chequei no escritório por volta de 10:40 hs e coloquei alguns assuntos em dia. O almoço foi num restaurante de massas imediatamente ao lado do escritório e que é um dos meus preferidos aqui. Comi acompanhado pelo Miguel a Jocelyn e o Argentino em treinamento aqui no Chile, Juan Manuel. Todos excelentes pessoas e muito atenciosos. Haviam planejado com bastante entusiasmo um jantar num local formal de Santiago mas infelizmente tive que dizer-lhes que numa viagem de moto, infelizmente, não há lugar para roupas sociais e sapatos. Portanto eu não teria condições de aceitar aquele convite.
Menu do restaurante Baco - bons vinhos vendidos por taça
Assim combinamos que Jocelyn, Cristina, Juan Manuel, Miguel e sua esposa Silvia e eu, iríamos ao Baco - um restaurante de Santiago que  eu já conhecia e que de especial tem a possibilidade de tomar muitos bons vinhos por taça. Assim o sistema permite  provar entre 3 ou 4 bons vinhos a um preço acessível. Um problema era a moto que estava estacionada próximo ao escritório e como a idéia era tomar vinho, eu não poderia ir com ela ao restaurante e de lá sair pilotando. A solução foi deixá-la estacionada no prédio onde mora Cristina, a duas quadras do escritório e eu a pegaria no dia seguinte. Assim fizemos. A noite foi excelente - pudemos tomar várias "copas" de vinho acompanhada de queijo. Excelente jantar em excelente lugar em excelente cia. Para o dia seguinte um "duro" compromisso: Assado na casa de Miguel. Santiago têm sido pura "fiesta".

Nenhum comentário:

Postar um comentário