Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Hora de pensar na próxima

Foram 9.824,8 Kms. percorridos em 23 dias de aventura. Uma média de 427 Kms. por dia. Curtimos cada metro percorrido. Vimos paisangens que jamais pensaríamos ver ao vivo e que jamais veríamos se não fosse montados numa moto. Conhecemos pessoas que se aproximavam, curiosas, perguntando de onde éramos e para onde iríamos. Muitos, a maioria, ficavam surpresos ao saber que éramos de tão longe e havíamos chegado abordo de uma moto. Aliás, numa de nossas conversas, eu disse a Walquiria que estava preocupado por não estarmos aproveitando a viagem para conhecer a fundo os lugares que parávamos como por exemplo os museus e monumentos de Santiago ou subir os morros e montanhas de Bariloche. Mas depois me dei conta que numa viagem de moto o principal atrativo é andar de moto. Depois o resto. A sensação de liberdade abordo de uma moto é fantastica. As paisagens além de serem vistas, podem ser sentidas. Sente-se o cheiro do lugar, da estrada, das plantas e também áqueles não muito bons, como das fábricas e poluição. Essa é a essencia de uma viagem de moto: ver e sentir por onde estamos passando. Mesmo nas horas difíceis, como na travessia do deserto a 42 graus ou com a moto em pane numa madrugada escura, pudemos desfrutar da aventura. Pois ao menos estávamos colecionando experiências únicas em nossas vidas até então e histórias para contar. Era grande também a ansiedade para atualizar o blog porque já tínhamos idéia de que as pessoas estavam sempre acessando em busca de novos capítulos da nossa aventura. Infelizmente nos últimos dias não foi possível mantê-lo atualizado. Revendo os posts ví também que existem inúmeros erros de portugues. Mas decidi não corrigí-los agora porque da forma que estão eles expressam o momento em que eu os escrevia. Tinha de ser rápido ora porque a conexão estava instável ou porque era paga e havia pouco tempo além do que, na maioria, foram escritas de madrugada na cama ou em lobby de hotéis. Eu escrevia dava uma revisada para ver o sentido e publicava. Esse blog também não será encerrado e embora o nome seja chile-de-moto vou continuar postando nossas aventuras abordo da nossa heroína e o nome continua, também,  porque certamente essa não será a última aventura até aquele maravilhoso país. É importante agradecer aos amigos que nos acolheram tão bem por onde passamos: Marcelo e Romina na Argentina e Miguel sua esposa Silvia e suas filhas Gabriela e Micaela além de Jocelyn e Cristina no Chile. Foram pessoas que nos fizeram sentir em casa apesar de estarmos tão distantes. Espero um dia ter a oportunidade de retribuir pelo menos uma pequena parte de tudo que fizeram por nós. Agradeço também a todos que nos acompanharam e os convido a continuar nos acompanhando aqui e quem sabe, também se tornarem motociclistas. Eu recomendo!

Um comentário: