Acompanhe o blog atraves do seu e-mail

Quem somos:

Valinhos, SP, Brazil
Eu sou consultor de TI e a Walquíria, professora. O meu hobby é o tiro esportivo e o dela, a leitura. O nosso é o motociclismo.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Dia de não fazer nada em Bariloche

Matando a vontade de por os pés no lago
06 de Janeiro - 10o. dia de viagem. Bem instalados, resolvemos aproveitar e descansar. Assim acordamos tarde, tomamos café da manhã e resolvemos, por volta das 11:00 hs., sair para a Walquiria matar a vontade de por os pés no lago Nahuel e comprar uma camiseta de Bariloche. No caminho decidimos que o almoço seria lanche e que compraríamos os ingredientes num supermercado. Por volta de 14:00 hs já estávamos de volta e daí o restante da tarde foi dedicado a leitura, internet, tv e sono. À noite, já um pouco entediados e com saudade da estrada, arrumamos as malas para no dia seguiente bem cedo sairmos em direção ao Chile. O ponto interessante do dia foi a queda de cinzas provenientes do vulcão. O dia anterior estava claro e muito bonito mas essa sexta-feira havia amanhecida com uma espécie de mormaço. Estava sol e sem nuvens porém não se via claramente o horizonte como no dia anterior. Um exemplo disso é que do nosso quarto, no dia anterior, era possível ver o lago. Porém agora isso já não era possível. Depois à tarde, quando estávamos dormindo, acordamos com a sensação de pó no nariz (não o branco, pó mesmo) e nos demos conta que todo o apartamento estava tomado por um pó de cor cinza e bastante grosso - muito parecido com pó de cimento de construções. Aquele pó era cinza trazida pelo vento desde o vulcão Puyehue localizado não muito longe dali. É impressionante como tudo fica tomado pelo tal pó. Os carros, as ruas, dentro de casa enfim, tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário